sábado, 26 de abril de 2014

40 anos - 25 de Abril


A preto e branco, retratando a uniformidade cinzenta que se impunha ao povo, algumas vozes teimavam em reclamar o direito à liberdade.

Acordai
Canção Heróica*


O maestro e compositor Fernando Lopes-Graça a dirigir o Coro da Academia dos Amadores de Música © Câmara Municipal de Cascais / Museu da Música Portuguesa /
Fundo Fernando Lopes-Graça.
Letra: José Gomes Ferreira


Acordai

Acordai
Homens que dormis
A embalar a dor
dos silêncios vis!
Vinde, no clamor
Das almas viris,
Arrancar a flor
Que dorme na raiz!

Acordai,
Raios e tufões
Que dormis no ar
E nas multidões!
Vinde incendiar
De astros e canções
As pedras e o mar,
O mundo e os corações!

Acordai!
Acendei,
De almas e de sóis
Este mar sem cais,
Nem luz de faróis!
E acordai, depois
Das lutas finais,
Os nossos heróis
Que dormem nos covais

Acordai!
  

*As músicas das Canções Heróicas foram compostas por Fernando Lopes-Graça  e destinavam-se a encorajar a luta contra a opressão do regime fascista.
Para ler mais sobre estas canções, clica aqui.




Canções Heróicas

«Livre»


Poema de Carlos de Oliveira
Musica de Fernando Lopes Graça
Arranjo e direção musical de Jorge Salgueiro


Livre

Solo
Não há machado que corte
a raiz ao pensamento

Coro
não há morte para o vento
não há morte.

Solo
Se ao morrer o coração
morresse a luz que lhe é querida,

Coro
sem razão seria a vida,
sem razão.

Solo
Nada apaga a luz que vive
num amor, num pensamento,

Coro
porque é livre como o vento,
porque é livre.








                                                         
Para mais informações sobre o 25 de Abril, podes consultar o Centro de Documentação 25 de Abril da Universidade de Coimbra.



Animações do DVD "25 de Abril, 32 Anos, 32 Perguntas".







Sem comentários:

Enviar um comentário